3 Documentários perturbadores de causar espanto

As primeiras imagens que surgem à mente do fã do Horror/Terror quando se fala em filmes documentários que causam pavor provavelmente se relacionam a crimes hediondos, principalmente aqueles perpetrados por assassinos em série, como os norte-americanos Ed Gein, Ted Bundy ou John Wayne Gacy, cujas imagens estão no inconsciente de muitas pessoas, devido a inúmeros vídeos, entrevistas e filmes (ficcionais ou não) que transformaram essas estranhas e misteriosas figuras em símbolos de pânico e terror.

Mas existem documentários que não precisam se embrenhar por esse bizarro mundo dos “serial killers” para causar estranhamento, medo ou mesmo espanto em seus espectadores. É o caso das três obras que o Pipoca com Sangue apresenta aqui, com o intuito de divulgar essa fatia do mercado cinematográfico pouco difundida, e consequentemente pouco consumida, especialmente em terras brasileiras.

3-documentarios-perturbadores-de-causar-espanto-share-cover

Foram selecionados filmes que transitam pelo ainda desconhecido universo da paralisia do sono, pela mentalidade por trás de um jovem francês especialista em falsificar a sua própria identidade para se inserir em um mundo ao qual ele alega nunca ter tido acesso quando criança, e pelo aterrador panorama que ronda os estados norte-americanos nos quais a pena de morte é aplicada, visto pelos olhos de um dos maiores cineastas da história.

  1. O Pesadelo

    The Nightmare Rodney Ascher | Estados Unidos - 2015

    Rodney Ascher já tinha adquirido notoriedade como documentarista em 2012 ao apresentar a sua obra Room 237, que vasculhava as várias teorias – muitas delas conspiratórias – que envolvem a produção do filme O Iluminado (The Shining – 1980), do diretor Stanley Kubrick. Agora foi a vez de ele se embrenhar pelo fascinante tema da paralisia do sono, através de oito entrevistados que revelam os seus temores mais profundos ao descreverem diante da câmera aquele que, para muitos, seria o seu momento mais gratificante depois de um longo dia de afazeres, a hora de dormir. Mas, ao contrário, conforme relatos e reencenações, esse momento – e o que se segue – acaba trazendo à tona figuras bizarras e sensações apavorantes que rondam as vidas de muitas dessas pessoas desde a tenra idade.

    Tradução literal do seu título, ainda sem equivalente oficial em português.
  2. O Impostor

    The Imposter Bart Layton | Grã-Bretanha - 2012

    O cineasta Bart Layton apresenta ao mundo a história de Nicholas Barclay que, aos treze anos de idade, desaparecera da sua cidade natal, San Antonio, no Texas, e supostamente fora encontrado três anos depois, em 1997, no sul da Espanha. Conseguindo fugir de uma situação de sequestro, tortura e abuso sexual, Barclay finalmente retorna ao seu lar; mas apesar de ser acolhido por sua família, passar pela entrevista de uma investigadora do FBI e possuir algumas marcas físicas que o identificam, o jovem volta para casa com um estranho sotaque e sua aparência não condiz com a idade que ele deveria ter naquele momento. Tais inconsistências só são levadas adiante quando um investigador particular entra em cena para descortinar os crimes que envolvem essa incrível história que tinha tudo para ter um final feliz, mas que acaba sendo o começo de um incrível mistério.

  3. Ao Abismo: Um Conto de Morte, um Conto de Vida

    Into the Abyss: A Tale of Death, a Tale of Life Werner Herzog | Estados Unidos/Grã-Bretanha/Alemanha - 2011

    O nome do alemão Werner Herzog dispensa apresentações no universo das Artes. Tido como um dos grandes nomes da história do cinema, neste documentário ele exercita o gênero ao qual tem dedicado mais da metade da sua obra audiovisual. E, para tanto, ele explora o mais do que delicado tema da pena capital, usando como pano de fundo um caso de triplo homicídio ocorrido no estado norte-americano do Texas, que culminou com a execução do jovem Michael Perry. Através de entrevistas com os envolvidos no referido crime, e também com seus familiares, Herzog aprofunda discussões que remetem à criminalidade latente na região, à banalidade com que a vida humana é encarada, por parte da sociedade e pelo próprio estado, destacando os horrores que um ato impensado pode desencadear na vida de diversos inocentes.

Sobre o Autor

Titi Gomez Já estive atendente de vídeo-locadora, ator, educador de uma creche, escritor, barman... Sou chegado em trecos DIY e tattoos... Go Vegan!

Deixe seu comentário