Conheça John Carpenter, criador da franquia Halloween

Segundo Carpenter tudo começou quando ele tinha 4 ou 5 anos de idade; era a estreia de It Came from Outer Space (em 3D). E mesmo sendo tão jovem – mal entendendo realmente o que estava presenciando – ele sabia que algo incrível estava acontecendo naquele momento; daquele ponto em diante ele ficaria realmente fascinado em relação ao Cinema.

john-carpenter-01

Imagem: Kyle Cassidy – Storm King Productions

Aos oito anos de idade, ao ganhar uma câmera 8mm do seu pai, começa a fazer seus próprios filmes: amigos como atores e monstros feitos de bonecos de barro. E ao assistir a Forbidden Planet nesse mesmo 1956 ele decide: “Eu tenho que fazer isso!” Mas ele confessa também que fazer Cinema e a sala de projeção em si para ele eram uma forma de escapar dos seus problemas de garoto.

Filmografia (principais títulos):

– (1976) Assault on Precint 13

– (1978) Halloween

– (1981) Escape from New York

– (1982) The Thing

– (1986) Big Trouble in Little China

– (1988) They Live

– (1998) Vampires

Carpenter, mesmo tendo seus primeiros filmes negligenciados pela crítica, hoje pode ser considerado parte do seleto grupo de Mestres do Terror no Cinema; porém em sua filmografia de quase trinta títulos dirigidos também são encontrados filmes de Ação, Ficção Científica, Romance e Comédia.

Como prova da influência de seus filmes basta citarmos que os criadores de Sexta-Feira 13 (1980) resolveram se arriscar nesse gênero simplesmente porque viram o sucesso que fora o lançamento de Halloween (e seu personagem Michael Myers), dois anos antes. Pegaram a onda criada por Carpenter para que sua produtora não fosse à bancarrota naquela época e criaram, sem pretensão artística ou estética alguma, outro dos vilões-ícone do Terror moderno: Jason Voorhees.

Mas um perfil de John Carpenter, por menor que seja, que não mencione a música-tema do personagem Michael Myers, não seria um perfil justo. Composta pelo próprio diretor essa música (segundo ele inspirada nos temas dos filmes Suspiria e The Exorcist) se tornaria algo surpreendente.

Tendo criado as trilhas sonoras de grande parte dos seus filmes ele mesmo, quando não o fazia, Carpenter encarregava tal tarefa a renomados profissionais da área; como, por exemplo, Ennio Morricone, reponsável pela música de The Thing.

Sobre o Autor

Titi Gomez Já estive atendente de vídeo-locadora, ator, educador de uma creche, escritor, barman... Sou chegado em trecos DIY e tattoos... Go Vegan!

Deixe seu comentário